fbpx

Menu

Diana Duarte AGGV

Família: conjunto de todos os parentes de uma pessoa, e, principalmente, dos que moram com ela…. Isto é o que diz o dicionário, e na minha opinião é uma definição que não faz justiça ao verdadeiro significado da palavra. Família é, sim, um conjunto de pessoas, mas é muito mais do que apenas as pessoas com quem partilhamos o mesmo sangue.

Digo isto, porque eu faço parte de uma grande família para além da minha família de sangue, que é o grupo de ginástica de Vouzela, e da qual eu tenho muito orgulho em fazer parte! Entrei nesta família em 2012, e posso dizer que, nessa altura, entrei neste grupo apenas com muita vontade de fazer ginástica, e não tinha ideia da importância que aquele grupo ia ter para mim um dia. Comecei com muita vergonha, mas uma coisa eu tinha a certeza… não ia desistir, porque a minha vontade de estar ali era muito maior! Em 2013, foi a minha primeira competição, e foi também o ano em que este grupo treinava no chão do pavilhão dos Maristas. Lembro-me como se fosse ontem, tremia da cabeça aos pés. Apesar disso, lembro-me que a competição correu bem e ficámos em primeiro lugar. Todas gritámos de alegria quando a senhora que estava a apresentar o evento disse “E em primeiro lugar: agrupamento de escolas de Vouzela”. Mal sabia eu que aquilo era só uma amostra da felicidade que este grupo depois me veio a trazer ao longo dos anos. Felicidade que veio tanto de grandes momentos como competições em que atingimos resultados inesperados, como de pequenos momentos vividos no nosso ginásio. É claro que nem tudo foram rosas, já tivemos momentos de muita tensão, e até momentos em que já chorámos todos juntos, mas esses momentos também serviram para nos unir, e, como uma família, nós ultrapassámo-los todos e vamos continuar a ultrapassar as barreiras que nos atravessarem à frente.

Não é por acaso que membros antigos gostam de voltar aos treinos e reviver os bons momentos que já lá passaram. As primeiras vezes que alguém faz um elemento novo, as brincadeiras do treinador (agora dois 😉 ), os momentos em que rimos todos juntos, ou até choramos… São todas memórias, que os antigos membros levaram com eles, e que um dia nós iremos levar também.

Aliás, quem souber aproveitar este grupo consegue levar muitas coisas de lá. Para além de boas memórias também se levam ensinamentos valiosos para a vida. Aprendemos a lidar com o sucesso e com a derrota, adquirimos valores, espírito de equipa e entreajuda e muito mais. Tudo coisas que um dia nos irão dar muito jeito durante a nossa vida.

A verdade é que eu só tenho a agradecer a este grupo, e ao seu “pai”, Duke Oliveira. Ele é quem nos dá na cabeça quando é preciso, mas também nos defende com unhas e dentes quando a situação o pede. Faz de tudo para que não nos falhe nenhuma oportunidade e não só em termos de ginástica. Ele ensina, não só ginástica, mas também muitas coisas valiosas para o nosso futuro. No fundo, sem ele este grupo não era a família que é. Também fico muito feliz por ver que o nosso outro treinador, Rodrigo Cortinhal, está a aprender com o nosso “pai”, e muito bem. Ele, e a nossa futura treinadora, Rosário Rosa, são a nossa garantia, que este grupo vai manter a sua essência por muitos mais anos, mas continuando sempre a crescer.

Bem, acho que se pode dizer que esta nossa família é uma família com muito amor, e, principalmente, muito amor à ginástica.

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

MERCHANDISE

OUTROS TESTEMUNHOS

Ana Carreiró

O meu percurso no Grupo de Ginástica de Vouzela iniciou-se há cerca de 13 anos e com ele nasceu uma grande paixão.  Quando entrei na

Ler mais

Subscreva a nossa newsletter